quarta-feira, 9 de setembro de 2009







Olho para o alto e vejo
Nuvens carregadas que pairam no ar
O frio que grita nas articulações
Queima o rosto através do vento insistente
É mais um dia de junho
Esperando te encontrar
O cigarro ataca a garganta
E a cerveja congela os dedos
E você sempre demora
E quando chega me sorri
Esqueço do céu e da garganta
Penso nas tuas ancas
E no próprio pensamento
Amor e desejo é tudo o que tenho
Vontade de cuidar e te comer
Te ler um livro
Arrancar teu sutiã
Te quero de quatro
Por quatro décadas
Te amo
Mais que tudo
Que seja possível.

Um comentário:

  1. Ae, o amor está no ar. Legal. Belo blog.

    E viva o flamengo!

    Um abração.

    ResponderExcluir